MOLARES

A QUINTA

GALERIA MULTIMÉDIA

CONTACTOS

A Quinta da Cerca

Embora a origem da vinha nestas terras seja muito antiga, mesmo milenar, os mais antigos documentos que provam a sua cultura pela família Meireles datam dos finais do século XVII.

Herdeiros de uma tradição e forma de estar na vida que inclui o tratamento e apuro da vinha e vinho como elemento verdadeiramente civilizacional, os donos da Adega Molares concretizam a intemporal e generosa hospitalidade portuguesa, assumindo os seus vinhos  um papel “sacralizado”, tal o alto simbolismo e riqueza que lhe está associado. A prova do “Vinho da Quinta” e o seu deleite sensorial em partilha com os visitantes é para a eles o culminar dum longo processo  que visa uma permanente e constante procura da perfeição.

Desde os finais do século passado, mais precisamente entre 1992 e 2006, foram plantadas as atuais vinhas em produção. As vinhas estão plantadas por talhões varietais, para permitir a sua perfeita condução, segundo as exigências particulares de cada uma, sendo as suas uvas vindimadas e vinificadas à parte para posteriormente a equipa enológica decidir sobre o seu destino como vinho monovarietal ou não.

 

Vinhas Brancas

 

Com o objetivo de laborarmos vinhos com a Denominação de  Origem Vinho Verde, escolhemos as castas genuinamente portuguesas,

a saber:

- a casta Azal representando 60%, a casta mais típica e adaptada  à região de Basto, mais concretamente Molares ;

- a casta Arinto perfazendo 30%, uma das mais notáveis no seio das castas brancas nacionais;

- a casta Alvarinho com 10%, considerada a rainha das castas brancas portuguesas.

A área total ocupada com o encepamento de castas brancas totaliza 22.892 m2.  Estas vinhas possuem 20 anos de idade média.

 

Vinhas Tintas

 

Entre 2003 e 2006 foram plantadas as seguintes castas:

- a Merlot com 50% de presença no encepamento;

- a Syrah com 26%;

- a Aragonez com 14%;

- a Touriga Nacional com 10%.

 

A presidir a esta escolha de castas tintas reside uma ideia muito clara: laborar vinhos com um perfil internacional, onde além do nome da nossa terra Molares, sobressaia a elegância, a distinção, a personalidade, a complexidade e a harmonia de vinhos da mais alta qualidade, prestigio e raridade.  Com estas castas laboramos e obtemos Vinhos Regionais Minho.